RESOLULÇÃO: Questão 46 Exame de Suficiência 2017.2 Bacharel.  

  RSS

Tiago de Moura
Member Admin
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 216
05/10/2017 15:32  

Visando acabar com a polêmica sobre a questão 46 do Exame de Suficiência 2017.2 vou postar a resolução dela aqui no Fórum Contábil:

Questão 46 Exame de Suficiência 2017.2 Bacharel.

Ao realizar uma auditoria das Demonstrações Contábeis em uma instituição financeira, o auditor verificou a existência de fraude contra o Sistema Financeiro Nacional, praticada por empregados com funções significativas no Controle Interno.

Considerando-se o que estabelece a NBC TA 240 (R1) – RESPONSABILIDADE DO AUDITOR EM RELAÇÃO A FRAUDE, NO CONTEXTO DA AUDITORIA DE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS, assinale a opção CORRETA em relação à comunicação que o auditor deve fazer ao identificar a fraude.

a) O auditor deve comunicar a descoberta da fraude aos responsáveis pela governança apenas, os quais deverão tomar todas as medidas cabíveis para a responsabilização dos fraudadores nos âmbitos administrativo, cível e penal, ficando o auditor, a partir da comunicação, isento de qualquer possibilidade de responsabilização legal.

 

b) O auditor deve comunicar a descoberta da fraude somente aos fraudadores e aos gestores da empresa, uma vez que essa atitude preserva o princípio do contraditório e da ampla defesa, assegurados constitucionalmente a todos os cidadãos.

 

c) O auditor deve comunicar a fraude ao Conselho Federal de Contabilidade e discutir com esse órgão a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria necessários para concluir a auditoria.

 

 

d) O auditor deve comunicar a fraude às agências reguladoras e de controle, pois, embora o dever profissional do auditor seja o de manter a confidencialidade da informação do cliente, as responsabilidades legais do auditor podem sobrepor-se ao dever de confidencialidade em situações que possam resultar em danos à sociedade.

 

RESOLUÇÃO:

A questão aborda a NBC TA 240, Norma que trata da responsabilidade do auditor no que se refere à fraude na auditoria de demonstrações contábeis.

O enunciado da questão descreve a situação de existência de fraude praticada por empregados com funções significativas no Controle Interno contra o Sistema Financeiro Nacional por parte de uma instituição financeira.

O auditor que realiza auditoria de acordo com as normas de auditoria é responsável por obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis, como um todo, não contém distorções relevantes, causadas por fraude ou erro.

 

Vamos para as alternativas:

A alternativa A está INCORRETA. Vejamos as razões, visto que esta alternativa confundiu muitos.

Quando o auditor obteve evidências de que existe ou pode existir fraude, é importante que o assunto seja levado à atenção de pessoa no nível apropriado da administração tão logo seja praticável. Isso é assim, mesmo que o assunto possa ser considerado não importante (por exemplo, um desfalque mínimo cometido por empregado em um nível inferior na organização da entidade). A determinação de qual nível da administração é o apropriado é questão de julgamento profissional e é afetada por fatores como a probabilidade de conluio e a natureza e magnitude da suspeita de fraude. Normalmente, o nível apropriado da administração está pelo menos um nível acima das pessoas que parecem estar envolvidas na suspeita de fraude.

Até este trecho OK. Mas na alternativa cita que “deve ser comunicado  aos responsáveis pela governança APENAS, os quais deverão tomar todas as medidas cabíveis para a responsabilização dos fraudadores nos âmbitos ADMINISTRATIVO, CÍVEL E PENAL.

Não deve comunicar APENAS aos responsáveis pela governança. Conforme podemos constatar no item 40:

Caso o auditor tenha identificado uma fraude ou obtido informações que indiquem a possibilidade de fraude, o auditor deve comunicar estes assuntos tempestivamente a PESSOA DE NÍVEL APROPRIADO DA ADMINISTRAÇÃO que têm a responsabilidade primordial de prevenir e detectar fraude em assuntos relevantes no âmbito de suas responsabilidades

 

Alternativa B e C. INCORRETASDispensa comentários pois a explicação da alternativa A responde estas.

Por fim o GABARITO da questão e conforme citado na norma a alternativa D está CORRETA. Vejamos:

A questão trata de uma INSTIUIÇÃO FINANCEIRA conforme mencionado no enunciado. E para comunicações de fraude em instituições financeira os itens A65 e A66 da norma são  claros:

 

A65. O dever profissional do auditor de manter a confidencialidade das informações do cliente pode impedir que ele relate a fraude a uma parte fora da entidade cliente. Contudo, a responsabilidade legal do auditor e, em certas circunstâncias, o dever de confidencialidade pode ser passado por cima por estatuto, lei ou tribunais de direito. No Brasil, o auditor de instituição financeira tem o dever de relatar a ocorrência de fraude a autoridades de supervisão. Em outros segmentos o auditor também tem dever de relatar distorções nos casos em que a administração e os responsáveis pela governança deixam de adotar ações corretivas.

A66. O auditor pode considerar apropriado obter assistência jurídica para determinar o curso de ação apropriado nas circunstâncias, cujo propósito é verificar os passos necessários ao considerar aspectos de interesse público na fraude identificada.

 

 

Gabarito: Alternativa D.

 

 


ResponderCitar
ELIZIARIA SILVA
Membro Eminente
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 29
05/10/2017 16:00  

"Nesse caso é uma Auditoria Independente" . A questão não diz quem Contratou ??

A própria instituição ou o órgão regulador/Controle. Acredito que se a contratação partiu do Banco, como o auditor iria passar por cima da comunicação de quem o contratou e  comunicar diretamente ao órgão de controle?


ResponderCitar
Tiago de Moura
Member Admin
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 216
05/10/2017 16:06  
Posted by: ELIZIARIA SILVA

"Nesse caso é uma Auditoria Independente" . A questão não diz quem Contratou ??

A própria instituição ou o órgão regulador/Controle. Acredito que se a contratação partiu do Banco, como o auditor iria passar por cima da comunicação de quem o contratou e  comunicar diretamente ao órgão de controle?

Fazendo valer o descrito nos itens A65 e A66.

Além disso ele é um auditor independente e não deve ser tendencioso em suas conclusões.


smgrings liked
ResponderCitar
ELIZIARIA SILVA
Membro Eminente
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 29
05/10/2017 16:13  
Posted by: Tiago de Moura
Posted by: ELIZIARIA SILVA

"Nesse caso é uma Auditoria Independente" . A questão não diz quem Contratou ??

A própria instituição ou o órgão regulador/Controle. Acredito que se a contratação partiu do Banco, como o auditor iria passar por cima da comunicação de quem o contratou e  comunicar diretamente ao órgão de controle?

Fazendo valer o descrito nos itens A65 e A66.

Além disso ele é um auditor independente e não deve ser tendencioso em suas conclusões.

Não me referi a Conclusão e sim a Comunicação.


ResponderCitar
Tiago de Moura
Member Admin
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 216
05/10/2017 16:22  
Posted by: ELIZIARIA SILVA
Posted by: Tiago de Moura
Posted by: ELIZIARIA SILVA

"Nesse caso é uma Auditoria Independente" . A questão não diz quem Contratou ??

A própria instituição ou o órgão regulador/Controle. Acredito que se a contratação partiu do Banco, como o auditor iria passar por cima da comunicação de quem o contratou e  comunicar diretamente ao órgão de controle?

Fazendo valer o descrito nos itens A65 e A66.

Além disso ele é um auditor independente e não deve ser tendencioso em suas conclusões.

Não me referi a Conclusão e sim a Comunicação.

A norma está clara a respeito de auditoria em instituições financeiras.

Não foi uma questão fácil. Mas está corretíssima!!!!

 

Pra reforçar segue o item 43 da norma:

 

Caso o auditor tenha identificado ou suspeite de fraude, deve determinar se há responsabilidade de comunicar a ocorrência ou suspeita a um terceiro fora da entidade. Embora o dever profissional do auditor de manter a confidencialidade da informação do cliente possa impedir que tais informações sejam dadas, as responsabilidades legais do auditor podem sobrepor-se ao dever de confidencialidade em algumas situações (ver itens A65 a A67).


ResponderCitar
smgrings
Membro Eminente
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 34
05/10/2017 16:44  
Posted by: Tiago de Moura
Posted by: ELIZIARIA SILVA
Posted by: Tiago de Moura
Posted by: ELIZIARIA SILVA

"Nesse caso é uma Auditoria Independente" . A questão não diz quem Contratou ??

A própria instituição ou o órgão regulador/Controle. Acredito que se a contratação partiu do Banco, como o auditor iria passar por cima da comunicação de quem o contratou e  comunicar diretamente ao órgão de controle?

Fazendo valer o descrito nos itens A65 e A66.

Além disso ele é um auditor independente e não deve ser tendencioso em suas conclusões.

Não me referi a Conclusão e sim a Comunicação.

A norma está clara a respeito de auditoria em instituições financeiras.

Não foi uma questão fácil. Mas está corretíssima!!!!

 

Pra reforçar segue o item 43 da norma:

 

Caso o auditor tenha identificado ou suspeite de fraude, deve determinar se há responsabilidade de comunicar a ocorrência ou suspeita a um terceiro fora da entidade. Embora o dever profissional do auditor de manter a confidencialidade da informação do cliente possa impedir que tais informações sejam dadas, as responsabilidades legais do auditor podem sobrepor-se ao dever de confidencialidade em algumas situações (ver itens A65 a A67).

Parabéns Tiago, ao menos uma pessoa coerente....

Para reforçar, o que postei em outro tópico....

 

O que está em azul, mostra que o gabarito está correto (Letra D)

Comunicações às autoridades reguladoras e de controle

 43.     Caso o auditor tenha identificado ou suspeite de fraude, deve determinar se há responsabilidade de comunicar a ocorrência ou suspeita a um terceiro fora da entidade. Embora o dever profissional do auditor de manter a confidencialidade da informação do cliente possa impedir que tais informações sejam dadas, as responsabilidades legais do auditor podem sobrepor-se ao dever de confidencialidade em algumas situações (ver itens A65 a A67).

 Comunicações às autoridades reguladoras e de controle (ver item 43)

  A65. O dever profissional do auditor de manter a confidencialidade das informações do cliente pode impedir que ele relate a fraude a uma parte fora da entidade cliente. Contudo, a responsabilidade legal do auditor e, em certas circunstâncias, o dever de confidencialidade pode ser passado por cima por estatuto, lei ou tribunais de direito. No Brasil, o auditor de instituição financeira tem o dever de relatar a ocorrência de fraude a autoridades de supervisão. Em outros segmentos o auditor também tem dever de relatar distorções nos casos em que a administração e os responsáveis pela governança deixam de adotar ações corretivas.

 A66. O auditor pode considerar apropriado obter assistência jurídica para determinar o curso de ação apropriado nas circunstâncias, cujo propósito é verificar os passos necessários ao considerar aspectos de interesse público na fraude identificada.

  Considerações específicas para entidade do setor público

 A67. No setor público, as exigências para relatar fraude, descobertas ou não durante o processo de auditoria, podem estar sujeitas aos aspectos específicos do mandato de auditoria de lei, regulamentação ou outra autoridade relacionada.


ResponderCitar
ELIZIARIA SILVA
Membro Eminente
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 29
05/10/2017 16:47  
Posted by: smgrings
Posted by: Tiago de Moura
Posted by: ELIZIARIA SILVA
Posted by: Tiago de Moura
Posted by: ELIZIARIA SILVA

"Nesse caso é uma Auditoria Independente" . A questão não diz quem Contratou ??

A própria instituição ou o órgão regulador/Controle. Acredito que se a contratação partiu do Banco, como o auditor iria passar por cima da comunicação de quem o contratou e  comunicar diretamente ao órgão de controle?

Fazendo valer o descrito nos itens A65 e A66.

Além disso ele é um auditor independente e não deve ser tendencioso em suas conclusões.

Não me referi a Conclusão e sim a Comunicação.

A norma está clara a respeito de auditoria em instituições financeiras.

Não foi uma questão fácil. Mas está corretíssima!!!!

Pra reforçar segue o item 43 da norma:

Caso o auditor tenha identificado ou suspeite de fraude, deve determinar se há responsabilidade de comunicar a ocorrência ou suspeita a um terceiro fora da entidade. Embora o dever profissional do auditor de manter a confidencialidade da informação do cliente possa impedir que tais informações sejam dadas, as responsabilidades legais do auditor podem sobrepor-se ao dever de confidencialidade em algumas situações (ver itens A65 a A67).

Parabéns Tiago, ao menos uma pessoa coerente....

Para reforçar, o que postei em outro tópico....

O que está em azul, mostra que o gabarito está correto (Letra D)

Comunicações às autoridades reguladoras e de controle

 43.     Caso o auditor tenha identificado ou suspeite de fraude, deve determinar se há responsabilidade de comunicar a ocorrência ou suspeita a um terceiro fora da entidade. Embora o dever profissional do auditor de manter a confidencialidade da informação do cliente possa impedir que tais informações sejam dadas, as responsabilidades legais do auditor podem sobrepor-se ao dever de confidencialidade em algumas situações (ver itens A65 a A67).

Comunicações às autoridades reguladoras e de controle (ver item 43)

  A65. O dever profissional do auditor de manter a confidencialidade das informações do cliente pode impedir que ele relate a fraude a uma parte fora da entidade cliente. Contudo, a responsabilidade legal do auditor e, em certas circunstâncias, o dever de confidencialidade pode ser passado por cima por estatuto, lei ou tribunais de direito. No Brasil, o auditor de instituição financeira tem o dever de relatar a ocorrência de fraude a autoridades de supervisão. Em outros segmentos o auditor também tem dever de relatar distorções nos casos em que a administração e os responsáveis pela governança deixam de adotar ações corretivas.

 A66. O auditor pode considerar apropriado obter assistência jurídica para determinar o curso de ação apropriado nas circunstâncias, cujo propósito é verificar os passos necessários ao considerar aspectos de interesse público na fraude identificada.

  Considerações específicas para entidade do setor público

 A67. No setor público, as exigências para relatar fraude, descobertas ou não durante o processo de auditoria, podem estar sujeitas aos aspectos específicos do mandato de auditoria de lei, regulamentação ou outra autoridade relacionada.Quem sabe

* Acredito que se houve mais de uma interpretação., a questão deveria ser anulada. Não custa tentar!

 

 


ResponderCitar
ELIZIARIA SILVA
Membro Eminente
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 29
05/10/2017 16:49  

Não é questão incoerência.

Cadê  a humildade!!!

 

Acredito que se as questões tivessem bem esclarecidas e elaboradas, nem estaríamos nesse fórum agora!

 

 


ResponderCitar
smgrings
Membro Eminente
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 34
05/10/2017 16:56  
Posted by: ELIZIARIA SILVA

Não é questão incoerência.

Cadê  a humildade!!!

 

Acredito que se as questões tivessem bem esclarecidas e elaboradas, nem estaríamos nesse fórum agora!

 

 

É incoerência sim... foi dada a resolução correta da questão, agora cabe as pessoas aceitarem ou não.

Apenas estamos expondo que os recursos devem ser embasados de outra forma, não como estão sendo feitos, pois as normas e resoluções estão bem claras quanto a isto.

 


ResponderCitar
francisco
Membro Ativo
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 17
05/10/2017 16:58  

galera video no you tube para recurso de 4 questoes

 

https://www.youtube.com/watch?v=ZYoIHcrvh0M&feature=youtu.be

RECURSO 2 º EXAME DE SUFICIÊNCIA 2017 QUESTÕES 05, 09, 11, 46

 


ResponderCitar
francisco
Membro Ativo
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 17
05/10/2017 17:03  

a questão 5 e valido de recurso o/


ResponderCitar
aranha
Novo Membro
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 3
06/10/2017 12:02  

quanto a polemica da questão 46.. se a questão A esta errada pelo termo usado ""APENAS"" a alternativa D encontra errada tambem.. pois na resposta diz (O auditor deve comunicar a fraude ás agencias reguladoras e de controle) e o correto seria a autoridades reguladoras.. um argumento a mais para ser anulada... 

BOA SORTE A TODOS

 


ResponderCitar
ELIZIARIA SILVA
Membro Eminente
Membro desde:8 meses  atrás
Posts: 29
06/10/2017 14:03  
Posted by: aranha

quanto a polemica da questão 46.. se a questão A esta errada pelo termo usado ""APENAS"" a alternativa D encontra errada tambem.. pois na resposta diz (O auditor deve comunicar a fraude ás agencias reguladoras e de controle) e o correto seria a autoridades reguladoras.. um argumento a mais para ser anulada... 

BOA SORTE A TODOS

 

 

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE

NBC TA 260 – COMUNICAÇÃO COM OS RESPONSÁVEIS PELA GOVERNANÇA

 


ResponderCitar
  
Working

Please Login or Cadastrar